Saber dizer “não” é uma habilidade que todos nós devemos aprender.

As crianças, principalmente as pequenas, são experts em dizer “não” para os adultos! Quando não querem comer, tomar banho, emprestar o brinquedo pro amiguinho, etc, elas rapidamente respondem com um “não” bem grande!

Mesmo que você tenha sido uma criança muito educadinha, com certeza você fez isso pelo menos uma vez na vida! Porém, toda criança é repreendida pelos pais quando elas se negam a fazer o que eles querem!

Imagine a seguinte cena: Um casal está passeando no shopping com sua filha de 3 anos, em direção à sorveteria. De repente, encontram uma ex-vizinha. Os adultos começam a conversar, interrompendo a caminhada, o que deixa a criança frustrada.

– Papai, quero sorvete – diz a menina, puxando o pai pela mão.

A ex-vizinha relembra a última vez que os viu, quando a menina ainda era bebê. A mãe conta para a senhora que a menina está fazendo aulas de balé. Em seguida, vira-se para a filha e diz:

– Dança, filha! A tia quer ver você dançar!
– Nãão! Eu quero sorvete.
– Que coisa feia! Pede desculpa para a tia – o pai a repreende.

Ah, a espontaneidade das crianças! kkk
Mas pense comigo: Por que a resposta da criança nos choca?
Posso dar três respostas rapidamente:

1) Porque não gostamos de ouvir “não”.
2) Porque aprendemos que é feio dizer “não”.
3) Porque a criança faz o que muitas vezes gostaríamos de fazer!

Nós crescemos aprendendo que se recusar a fazer algo para alguém é errado, afinal, a criança boazinha faz o que as pessoas pedem. Inclusive coisas com as quais ela não se sente nem um pouco à vontade.

Aprendemos, ao longo da vida, a dizer sempre “sim”, disfarçando o nosso desconforto, para não causar um constrangimento. E assim, passamos a nos sentir obrigados a corresponder à expectativa das pessoas.

Mas você sabe o que, na maioria das vezes, está por trás de tudo isso? Vou responder em letras maiúsculas: O MEDO DA REJEIÇÃO!!

  • Você já se viu sobrecarregado(a) por assumir tarefas e compromissos demais?
  • Já fez muitos favores para as pessoas, apesar de se sentir desconfortável com aquilo, seja na família, no trabalho, na igreja ou no grupo de amigos?
  • Já se sentiu “explorado(a)” por alguém e mesmo assim você não conseguiu reagir?
  • Você acha que se disser “não” para uma pessoa, ela vai se decepcionar com você?

Se você respondeu afirmativamente a uma das perguntas, você precisa aprender a se libertar dessa prisão chamada medo. Medo de ser rejeitado(a), ou de achar que as pessoas vão gostar menos de você.

O primeiro passo desse processo é repetir para si mesmo(a): “O meu valor está em quem eu sou, não naquilo que faço para as pessoas através de favores!”

O segundo passo é entender que na base de qualquer tipo de relacionamento deve estar o RESPEITO. Traga a sua memória as últimas situações em que você se sentiu desconfortável, mas mesmo assim disse “sim”. Observe se você se sentiu desrespeitado(a).
Se sim, você precisa impor limites saudáveis para essas relações, de forma que elas percebam que você merece o devido respeito!

O terceiro passo, então é usar uma espécie de filtro, fazendo para si mesmo(a) perguntas do tipo:

  • Me sinto à vontade com essa situação ou me sinto desrespeitado(a), lesado(a), sem paz no coração?
  • Essa situação me fará pecar?
  • Eu QUERO fazer isso?

O quarto passo é começar a praticar dizer “não” para as situações nas quais, antes, você se forçava a aceitar. Mas faça isso de forma educada e sem contar uma mentira como desculpa, ok?! (“Amo/gosto muito de você, mas não vou me comprometer com você desta vez” pode ser uma boa resposta.)

Mas antes de você começar, preciso ser honesta e te deixar ciente de uma coisa: as pessoas vão estranhar te ouvir dizendo “não” para elas!

Algumas vão ter esse “choque” inicial, mas logo entenderão. Outras podem realmente ficar chateadas e até se afastarem depois da primeira, segunda ou terceira vez que ouvirem seu “não”…

Outro fator importante é entender que existem pessoas que são aproveitadoras mesmo! Daquele tipo que só mantém um vínculo se houver alguma vantagem para elas. É o tipo de relação tóxica da qual você deve se afastar!
Mas não digo isso para você se magoar ou sentir raiva! Não! Na verdade, elas são dignas de misericórdia.

Não use o “não” como uma “arma”, mas sim como uma proteção, como um limite necessário para que a linha do respeito não seja rompida.

Peça a Deus para te guiar durante esse processo. Permita que Ele te traga crescimento e amadurecimento nessa área tão delicada que é lidar com as pessoas.

Aproveito para indicar o livro “Limites – quando dizer sim, quando dizer não” dos autores Henry Cloud e John Townsend, que abordam esse assunto com maestria!

Fiquem com Deus e até o próximo post!

Deixe uma resposta

Fechar Menu